Foto: Carlos Alberto Pereira / Imprensa MG

Assim como no país, que voltou a criar 35.612 novos postos de trabalho em fevereiro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Minas Gerais também teve saldo positivo na geração de postos de trabalho no mês passado: 9.025 vagas. Para se ter uma ideia, no mesmo período do ano passado, o saldo entre admissões e demissões estava negativo em 3.309 ocupações no Estado.

Em janeiro deste ano, o saldo do Caged em Minas ficou negativo em 185 vagas, ao contrário do mesmo período do ano passado, quando havia uma retração de -16.418 postos de trabalho.

De acordo com o Painel de Monitoramento do  Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Minas da Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), que mostra o desempenho de sete serviços disponibilizados pelas 134 unidades do Sine no Estado, em fevereiro deste ano houve a colocação no mercado de trabalho de 2.330 trabalhadores, bem acima dos 1.594 inseridos nas vagas disponibilizadas pelas empresas em igual mês de 2016.

Segundo o diretor de Desenvolvimento de Políticas para Inclusão ao Emprego da Sedese, Emanuel Camilo de Oliveira Marra, o desemprego continua muito elevado, superando 12 mil desocupações no país, o pior desempenho desde 2012. “Em 2016, foi o ano mais crítico da crise. O que houve  foi um arrefecimento no desemprego. Tivemos uma menor degradação do mercado de trabalho”, avaliou.        

Ainda de acordo com o Painel de Monitoramento, o número de atendimentos nas unidades do Sine chegou a 167 mil no mês passado, 16.893 a mais em igual mês do ano anterior.